2007-11-05

Empreendedores de Irecê - Dr. José Domingos - Médico (V)

Resolvendo problemas sociais com a psiquiatria

Dr. José Domingos surpreendeu-se com a quantidade de pessoas que viviam jogadas pelas ruas, em meio ao lixo, bastante sujas.

Sentindo uma imensa compaixão, começou a medicar aqueles doentes mentais, que saíam de seu consultório com uma receita médica e com um atestado comprovando que estavam impossibilitadas de trabalhar no sol ou pegar peso, por causa dos medicamentos que tomavam. Como no sertão a principal fonte de trabalho são as roças, onde existe necessidade da força braçal, geralmente embaixo de sol escaldante, aqueles doentes poderiam requerer a aposentadoria.

E muitas se aposentaram e passaram a viver dignamente.

“A causa do sofrimento vem a ser a falta de amor. Se você trata a pessoa com amor, se você considera a pessoa, ele também vai lhe tratar bem e lhe considerar”. “Todo mal estar é provocado por tristeza, raiva ou medo”.

Depois de alguns meses medicando doentes em Uibaí, Dr. José Domingos recebeu um convite precioso do seu sogro, Miguel Lázaro Machado, pai de Vera Lúcia, que naquele tempo era sua noiva. Miguel, que já morava em Irecê há seis anos, convidou-o para vir trabalhar nesta cidade, dizendo-lhe: “Eu quero lhe ajudar e posso lhe ajudar”.

Bastante satisfeito, aceitou o convite do sogro, pois sabia que trabalhando aqui, a região de Irecê poderia ser mais bem servida na área psiquiátrica.

Apesar de exercer a profissão de médico psiquiatra há muitos anos, Dr. José Domingos jamais aceitou que uma pessoa qualquer viesse a desconsiderar um doente em sua presença. Para ele, que demonstra imenso amor pelo próximo, a causa do sofrimento é decorrente das desconsiderações do esposo ou esposa, dos familiares, dos vizinhos, dos patrões, ou dos colegas de trabalho que normalmente acompanham o paciente ao consultório psiquiátrico.

Além disso, vale destacar também, no campo de atividades sociais, que este médico é sócio do Lions Clube de Irecê, uma entidade filantrópica, há mais de vinte anos. No passado, foi sócio e presidente da Socribi - Sociedade Cristã Beneficente de Irecê, que ajudou a região doando casas populares e reabrindo o Hospital Regional de Irecê, que esteve fechado muitos anos. Como presidente da Socribe, Dr. José Domingos estadualizou o Hospital Regional de Irecê, melhorando a qualidade de vida dos funcionários do hospital e do povo da região. A estadualização só foi possível, porque a Bahia tinha um governador justo e democrático: Dr. Valdir Pires, que hoje está no PT.

(Na foto Dr. José Domingos, época de estudante, com Vera, sua esposa)

Algumas reflexões sobre vários assuntos

“Eu me sinto cada dia mais feliz e realizado com meu trabalho”.

“Meu pai dizia que a prova de que Jesus era Deus estava nos milagres que ele fazia. Mas para mim a grande prova está na castidade dele. O que mais me admira em Jesus é a castidade. Ele viveu 33 anos, naquela época, sem se render aos encantos de nenhuma mulher. Não sofreu por nenhuma, mas algumas sofreram por ele, porque queriam casar com ele e ele não quis”.

“Gosto mesmo é da poesia. Eu não escrevo poesia, mas sou um admirador dos poetas”.

“Moro em Irecê há 25 anos e foi onde morei mais tempo. Eu nasci em Uibaí, mas só fiquei 10 anos e meio. Mudei para Xique-Xique, onde fiquei 4 anos e meio. Depois mudei para Salvador, onde fiquei 9 anos e meio. Voltei para Uibaí, onde fiquei 9 meses. Aí mudei para Irecê e estou aqui há 25 anos”.

“A gente usa o lema ama ao teu próximo como a ti mesmo, mas em primeiro lugar devemos aprender a amar a nós mesmos, pois quando uma pessoa aprende a si amar, geralmente vai amar melhor ao seu próximo”.

“Em primeiro lugar devemos zelar nosso corpo, que é nosso próximo mais próximo, depois zelar nossa esposa, nossos filhos, parentes, sobrinhos... Quanto mais união melhor”.
“A violência é conseqüência da falta de amor. As pessoas violentas, sempre são aquelas mal amadas, principalmente na infância, de zero a seis anos”.

“Eles devem amar mais seu próximo. Amar sua profissão. O bom político é aquele que se dê como um empregado do povo. O povo é o patrão e o patrão não quer empregado ruim lá. Tem que ser honesto. Deve criar leis que melhorem a vida do povo”

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
(Fonte: livros do escritor Jackson Rubem: Irecê: História Casos e Lendas; Irecê, Um Pedaço Histórico da Bahia; Irecê, A Saga dos Imigrantes) e Brasileiros Pré-Cabralianos (Brazilians Before Cabral), publicado em Inglês e Português.

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget