2007-11-24

Prefeitos do Platô de Irecê são contra a transposição do São Francisco

Muito se fala na transposição do São Francisco e as opiniões são divergentes. Para uns, algo que trará a subsistência para as populações mais carentes, para outros, miséria.

Dr. Manoel Gabriel dos Santos, popular Doutor Nel, prefeito de Barra do Mendes, acha que a transposição vai gerar miséria.

Em matéria publicada na Agência Brasil, no dia 26 de março, ele disse que os 21 municípios que formam o Platô do Irecê, no noroeste baiano, são contrários à transposição do Rio São Francisco.

“Se fossem tirar nossa água só para matar a sede do povo, menos mal. Mas estão levando nossa água para projetos de desenvolvimento no nordeste setentrional. Com isso não concordamos”, afirmou o prefeito, cuja região fica a cerca de 200 quilômetros da represa de Sobradinho.

Para Doutor Nel, antes da transposição o governo federal deveria implementar projetos de revitalização e de compensação no Platô do Irecê que, segundo ele, é carente em saneamento básico, barragens, programas de irrigação e de geração de emprego e renda.

“Eles deveriam cuidar primeiro dos ribeirinhos do São Francisco – depois resolveriam os problemas dos mais distantes. Não que o irmão que está a 700 quilômetros do rio não mereça ter água, mas é preciso antes cuidar dos que sofrem aqui”, frisou.

O prefeito, que até janeiro presidiu a União dos Municípios do Platô do Irecê, disse acreditar que a transposição vai secar ainda mais o rio e seus afluentes: “Os rios estão cheios de bancos de areia. Vamos somar ainda mais dificuldade no futuro”. A cidade de Barra do Mendes, explicou, é cortada por dois afluentes do São Francisco, os rios Verde e Jacaré, e a nascente deste secou no ano passado.

Para ele, “existem outras alternativas", como projetos de revitalização do rio, como a despoluição e o combate ao assoreamento, e também o desenvolvimento de programas de irrigação e de geração de renda, que atenderiam às populações do Platô do Irecê.

Doutor Nel lembrou que dois projetos de irrigação estão parados há anos. “A única coisa que andam fazendo é um trabalho com quilombolas na região. E só”, ressaltou. Ele é prefeito pela segunda vez do município de 15 mil habitantes, a 80 quilômetros da margem do São Francisco.

A licença ambiental concedida na sexta-feira (23/03) pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que permite o início das obras de transposição, deixou a comunidade triste, segundo o prefeito, para quem havia uma “convicção” que o projeto não sairia do papel.

“Mas agora descobrimos que fomos vencidos. Isso nos deixa tristes. Acho que o presidente Lula e todos os envolvidos na transposição estão enganados. Deviam olhar primeiro para os ribeirinhos, que estão numa situação de penúria”, concluiu.

Barra do Mendes produz banana, feijão, mamão e milho. Há ainda criação de gado e extração mineral (cristal de rocha e diamantes).

Um comentário:

loka disse...

É UMA CONVERSA CONTRADITORIA.
SOU MORADOR DESTA CIDADE A MAIS DE 26 ANOS, E A MELHOR COISA QUE NOS ACONTESEU FOI A BARRAGEM DO MIROROS QUE NOS SUPRIO POR MAIS DE 20 ANOS. E AGORA VEM O PREFEITO DR MANOEL GABRIEL DOS SANTOS DIZER UMA BARBARIDADE DESSA. FAZENDO TUDO DIFERENTE PARA QUE O POVO SUPLIQUE POR AGUA POR MAIS 10 ANOS E ELE TROCANDO CARRO PIPA POR VOTO MAIS ESSA EU VOU DIZER. ELE NAO COMENTOU QUE DESMATOU MAIS DE 20.000,00 HE TE TERRA SO PARA O GADO DELE ISSO MESMO EM UMA DAS 10 FAZENDAS DELE FORA AS OUTRAS QUE ELE NAO DECLAROU VEJA NO SITE www3.tse.gov.br/sadEleicaoDivulgaCand2008 E TODA ESSA TERRA FICA EM UM LEITO DE RIU, HOJE MORTO.
ESSE PREFEITO SO ESTA QUERENDO QUE VENHA MAIS PROJETOS PARA A CIDADE PARA ELE FAZER IGUAL PARA COM OS OUTROS PROJETOS NADA.
"ELE DEVIA SE PREOCUPAR E COM AS ESCOLAS QUE ESTÃO CAINDO NO MUNICIPI DE BARRA DO MENDES ISSO SIM".
E ISSO TUDO TEM COMO PROVAR E SO O GOVERNO SE MOVIMENTAR E PESQUISAR.

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget