2008-02-29

Secretaria da Agricultura quer 100% Imunização antiaftosa na Bahia

Até 31 de março, 273 mil produtores de bovinos e bubalinos (bois e búfalos) cadastrados no estado devem atender ao chamado da Secretaria da Agricultura (Seagri) e vacinar seu rebanho contra a febre aftosa. Na primeira etapa da campanha deste ano, a Bahia tem duas responsabilidades: manter a certificação de zona livre da doença (título que detém há 10 anos) e superar o índice vacinal de 97% registrado no ano passado, o que já foi um recorde.

A meta é alcançar a marca de 100% de imunização com a campanha, que tem como slogan Seja Boi, Seja Boiada. Vacine Contra a Febre Aftosa. Assim, a idéia é atingir não apenas os médios e grandes criadores, mas também os pequenos. O estado conta hoje com mais de 11,25 milhões de cabeças. Somente na área trabalhada pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) no sul do estado, que abrange 44 municípios, são 600 mil bovinos e bubalinos.

Durante a vacinação, uma atenção maior será dispensada aos municípios que apresentaram índice de vacinação inferior a 90% na última etapa (setembro de 2007) e aos criadores inadimplentes – aqueles que não vacinaram seus rebanhos. Sem falar nas cidades da chamada zona-tampão, no limite com Piauí, Pernambuco e Alagoas – áreas mais vulneráveis ao aparecimento de doenças.

A campanha foi lançada hoje (29), no auditório da Fundação Luís Eduardo Magalhães (Flem), mas a primeira atividade da vacinação acontece amanhã (1º), pela manhã, com um dia de campo na Fazenda João Paulo II, entre Itabuna e Buerarema, na BR-101. Ali, técnicos, produtores e trabalhadores rurais vão se reunir para receber e passar orientações sobre a importância da vacinação.

“O combate à febre aftosa é uma de nossas principais campanhas. A Bahia completa em maio 11 anos livre da doença, o que mostra que o estado tem cumprido o seu dever de casa”, afirmou o secretário da Agricultura, Geraldo Simões.

Fiscalização reforçada

Na campanha, coordenada pela Adab, órgão da Seagri, a fiscalização do trânsito de animais será reforçada nas 41 barreiras fixas e móveis. “Iremos manter também um trabalho intenso de orientação nas áreas rurais, com a realização dos dias de campo. Haverá ainda vacinações assistidas e doações da vacina a comunidades indígenas”, disse o diretor-geral da Adab, Altair Santana.

Quem não imunizar seu rebanho estará sujeito à multa de 50 UFIRs por animal não vacinado e de 150 UFIRs por propriedade que não declarar a vacinação.

Com o tema Campanha de Vacinação – Importância para o Comércio Internacional de Carnes, a solenidade na Flem contou com a presença do vice-governador Edmundo Pereira e do presidente do Fórum Nacional Permanente de Pecuária de Corte da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil, Antenor Nogueira, que proferiu palestra sobre o assunto.


rdf/om

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget