2008-04-18

Juazeiro Bahia sedia seminário sobre a sustentabilidade no Semi-Árido

O Semi-árido é uma região próspera, desde que se aprenda a conviver com sua diversidade climática. Essa é uma das premissas que serão apresentadas no Seminário Convivência com o Semi-árido, realizado pelo Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada – IRPAA, organização não-governamental situada no município de Juazeiro, a 511 quilômetros de Salvador. O evento ocorrerá no auditório da Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra/BA), entre os dias 23 e 25 de abril e é fruto de um amplo convênio firmado entre o Incra/BA e o IRPAA.

O agrônomo do IRPAA, Haroldo Schistek, um dos palestrantes do Seminário, contesta a seca no Semi-árido. “Não existe seca. Há período de chuvas e verde no bioma da Caatinga. A região sempre foi densamente habitada por índios antes da chegada dos portugueses”, ressalta. Schistek conta, por exemplo, que comunidades acompanhadas pelo IRPAA preservam as águas da chuva e não sofrem com falta de água no período da estiagem.

O austríaco, radicado na região desde 1970, disse que foi estudando a história, descobrindo as formas como os índios sobreviviam que se vem formulando uma nova metodologia para conviver no semi-árido. Um traçado histórico entre a formação do bioma da Caatinga e sua evolução será a temática de abertura do seminário.

O Pró-reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Álamo Pimentel, também participará do seminário e explanará sobre a “Subjetividade do ser humano no Semi-árido”. As abordagens serão variadas e amplas. Entre eles, destacam-se o estudo do solo, subsolo e clima e a capacidade produtiva da região, o ordenamento fundiário, as políticas públicas e questões pedagógicas para a educação nas comunidades que vivem no Sertão.

O seminário é parte integrante do convênio firmado pelo Incra/Ba e o IRPAA, por meio dos programas Terra Sol e Conservação e Recuperação de Recursos Naturais para atender 424 famílias de sete Projetos de Assentamento (PAs) e duas comunidades tradicionais fundo de pasto, situados em cinco municípios da região do Semi-árido baiano. O convênio abrange a implantação de duas agroindústrias que já estão com as instalações construídas, em dois PAs.

Programação

23/04/08

8h às 10h – História: O modo como o Semi-árido Brasileiro foi colonizado se reflete na atualidade.
Engº Agrº Haroldo Schistek -IRPAA

10h15 às 12h - Convivência com o Semi-árido: clima, água e solo-subsolo.
José Moacir dos Santos - Coordenador Geral do IRPAA

14h às 16h - Subjetividade do ser humano no Semi-árido Brasileiro.
Dr. Prof. Álamo Pimentel - Pró-Reitor da UFBA

16h15 às 18h - Convivência com o Semi-árido: animais e bioma.
José Moacir dos Santos - Coordenador Geral do IRPAA

24/04/08

8h às 10h - Zoneamento agroecológico.
Engº Agrº Haroldo Schistek – IRPAA

10h15 às12h - Fertilidade do solo x clima x propriedade viável.
Engº Agrº Haroldo Schistek -IRPAA

14h às 16h - Especificidades de produção, beneficiamento e comercialização no Semi-árido.
Pedagogo Ademilson dos Santos - Coordenador Institucional do IRPAA

16h15 às 18h - Políticas Públicas para o Semi-árido Brasileiro.
Pedagogo Ademilson dos Santos - Coordenador Institucional do IRPAA

25/04/08

8h às10h - Reordenamento fundiário no Semi-árido Brasileiro.
Pedagogo Ademilson dos Santos - IRPAA

10h15 às 12h - Educação para a realidade dos alunos que vivem no Semi-árido Brasileiro.
Pedagogo Ângelo Custódio Neri

14h às 16h - Discussão de critérios e parâmetros de produção em assentamentos.
Engº Agrº Haroldo Schistek e o Pedagogo Ademilson dos Santos

16h15 às18h – Discussão de propostas de soluções para entraves constatados.
Engº Agrº Haroldo Schistek e Ademilson dos Santos

Cíntia Melo
DRT-BA 1816
ACS – Incra/BA

Tels.: 71 3206-6407 / 71 9974-1879

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget