2008-04-30

Mais de duas mil pessoas foram para a exposição “A Bahia na Época de D. João"

Cerca de um mês depois da abertura da exposição “A Bahia na Época de D. João e a Chegada da Corte Portuguesa na Bahia”, o Museu de Arte da Bahia (MAB) já registra um público superior a 2,4 mil pessoas.

Para o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), instituição da Secretaria de Cultura do Estado, que administra 13 museus, esse número é bastante significativo quando são consideradas mostras realizadas no âmbito da Bahia.

De acordo com diretora do MAB, Sylvia Athayde, também curadora da exposição, “a grande motivação do público é a amplitude histórica que até pouco tempo era abordada pelos historiadores quase que somente sob a ótica da Carta Régia da Abertura dos Portos às Nações amigas”. Além disso, é uma curiosidade por ser a data comemorada a cada 100 anos e há um século atrás não havia museus. Hoje, o público pode ver de perto vários aspectos de uma mesma época e um fato histórico ilustrado por meio de gravuras, pinturas e objetos. “Nessa exposição pode ser observado os costumes, meios de transportes e personagens de 200 anos atrás”, ressalta Sylvia.

Na exposição, os visitantes poderão apreciar obras de diversos museus do Brasil, Portugal, do próprio MAB e de colecionadores particulares, representativas da iconografia baiana. Vistas da cidade, retratos dos representantes da família real e nobres da época, além de vários serviços de mesa utilizados por D. João VI, no Rio de Janeiro, Fazenda Real de Santa Cruz, Paço de São Cristóvão e Paço da Cidade, são alguns dos atrativos da mostra.

Paralelamente, o MAB promove palestras convidando historiadores renomados como a franco-portuguesa Andrée Mansuy Diniz Silva, que esteve em Salvador em março. Para maio estão agendadas palestras no dia 8 (quinta-feira), às 18h, com a professora Maria José Andrade, e no final do mês, com a diretora do MAB.

Campanha

Para comemorar o Dia Internacional dos Museus (18 de maio), o Ipac que administra o Museu de Arte Moderna, o MAB, o Palácio da Aclamação e Palacete das Artes – Rodin Bahia, entre outros, está organizando intensa campanha para a visitação nos museus estaduais.

Segundo o diretor do instituto, Frederico Mendonça, todos os museus estarão participando, incluindo dois da Prefeitura do Salvador, fundações privadas, como o Henriqueta Catharino, e federais, a exemplo dos museus Afro-Brasileiro e o de Arqueologia e Etnologia, vinculados à Universidade Federal da Bahia.

Dentre as atividades programadas, destaque para a “Semana de Museus”, de 12 a 18 de maio, quando o público poderá visitar todos os equipamentos gratuitamente. No caso do MAB serão reforçadas as palestras e visitas orientadas pelos técnicos do Núcleo de Educação que atua desde a inauguração da exposição, com visitas previamente agendadas por escolas e entidades diversas, entre elas, empresas, hospitais, organizações não-governamentais e agências de viagens, entre outros.

cas/is

Nenhum comentário:

Arquivo


Teste sua Memória