2008-05-31

Irecê comemora 75 anos de emancipação política com grandes conquistas

Neste 31 de maio de 1933, Irecê comemora 75 anos de emancipação política. Desde ontem (30) que há manifestações na cidade em homenagem a independência.

A cidade evoluiu bastante, principalmente nos dois últimos governos, Beto Lelis e Joacy Dourado.

No governo atual, Joacy Dourado, Irecê conquistou um CEFET, uma unidade da UNIVASF, uma abatedouro público previsto para ser inaugurado em dezembro, um curso de música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e um Arquivo Municipal, entre tantas outras coisas.

O município de Irecê foi criado em 2 de agosto de 1926 pela Lei 1896, conforme publicado na página 47, da 1ª edição do livro Irecê – História, Casos e Lendas e na página 44, da 2ª edição do referido livro:

Diz a Lei:

“O Governador do Estado da Bahia: Faço saber que a Assembléia Geral Legislativa decretou e eu sanciono a lei seguinte: Art. 1º Fica erecto em Vila o arraial de Carahybas, mo Nunicípio de Morro do Chapeo, com a denominação de Villa de Irecê, que será sede do Município e termo desse nome, creados por esta lei”.

Acontece que a Lei de 2 de agosto foi anulada em 8 de Julho de 1931, por força do Decreto Lei Estadual nº 7.479 e a área de Irecê voltou a pertencer a Morro do Chapéu:

“O Interventor Federal no Estado da Bahia, no uso de suas atribuições e tendo em vista o decreto nº 7.478, de 8 de julho de 1931, que estabelece uma nova lei de Organização Municipal, Decreta:
“Art. 1º Fica o Estado da Bahia dividido, para fins administrativos, nos seguintes municípios: 1. Affonso Penna; 2. Alagoinhas; 3. Alcolaça; 4. Amargosa; 5. Anchieta (ex-Bom Jesus do Rio de Contas) ao qual é anexado o município de Guarany; 6 Andarahy; 7Angical, ao qual é anexado o município de Barão de Cotegipe; 8 Aratuhype, ao qual é annexado o município de Jaguarupe; 9 Areia; 10. Barra; 11. Barra da Estiva; 12 Barreiras; 13 Belmonte; 14 Boa Nova; 15. Bonfim [...] 79. Morro do Chapeo, ao qual é anexado o município de Irecê [...].

Até o dia 30 de maio de 1933, Irecê era uma simples vila de Morro do Chapéu. Irecê deixou de ser vila de Morro do Chapéu no dia seguinte, ou seja, em 31 de maio de 1933, por força da assinatura do Decreto Lei Estadual nº 8.452:

“Ficam restabelecidos, com a denominação de Cotegipe, os municípios de Barão de Cotegipe, com sede em Japaguá, antigo Poço Redondo; o de Monte Alto e o de Irecê”.

A assinatura do Decreto Lei Estadual n. 8.452, de 31 de maio de 1933, resultou nos seguintes acontecimentos:

  • Mudança oficial do nome de “VILA DE IRECÊ” conforme consta na extinta Lei de 2 de Agosto, para IRECÊ, conforme consta no Decreto Lei Estadual, 8.452 de 31 de Maio de 1933.
  • Irecê saiu da condição de sub-prefeitura de Morro do Chapéu, para a condição de Prefeitura, adquirindo plena capacidade político-administrativa.
  • Irecê passou a ter seu primeiro prefeito, que foi o famoso professor Faustiniano Lopes Ribeiro.
  • Irecê passou a ter seu PRIMEIRO ORÇAMENTO MUNICIPAL no valor de 30 Contos de Réis, para o exercício de 1934, do mandato de Faustiniano.
A instalação do município ocorreu em 9 de julho de 1933, conforme registrado no segundo jornal mais antigo da Bahia, o jornal Correio do Sertão.

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget