2008-05-09

Áreas vulneráveis à desertificação na Bahia recebe visitas da SRH

Uma visita às comunidades do município de Casa Nova e a projetos da ONG Articulação no Semi-árido (ASA) encerram, nesta sexta-feira (9), a programação da equipe da Superintendência de Recursos Hídricos (SRH) nas regiões de Juazeiro e Jeremoabo.

As idas a campo fazem parte da primeira ação prática do Plano Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAN-Bahia). Após passagens por mais de dez comunidades e associações, prefeituras, ONGs e entidades de pesquisa agrícola, os profissionais detectaram muitas áreas críticas de risco de desertificação, além da falta de infra-estrutura e de carências de técnicas agrícolas.

O principal objetivo das visitas é identificar as áreas susceptíveis à desertificação e fazer o levantamento de dados técnicos como as condições sócio-econômicas e políticas dessas regiões. “Existe uma realidade muito complexa. Várias comunidades visitadas apresentam problemas de desertificação e conflitos de terra. Essas atividades de início da articulação são muito importantes para o plano, porque é o momento em que todos passam a conhecer mais profundamente as realidades”, explica a coordenadora de Desenvolvimento Sustentável da SRH, Anapaula Dias.

Ela reitera que as populações visitadas - fundamentais para todo o processo de implantação do plano - demonstraram interesse em participar das ações. Na quarta-feira (7), a equipe da SRH foi levada pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) para conhecer os impactos que um canal de irrigação, uma pedreira e uma plantação de cana-de-açúcar causam sobre comunidades da zona rural de Jeremoabo.

Entre outras visitas, o grupo esteve nas instalações da Embrapa, em Petrolina, na Prefeitura Municipal de Jeremoabo, participou de reuniões com associações e visitou a comunidade quilombola Casinhas, de Jeremoabo, e o povoado de Barrinha do Cambão, de Juazeiro, que está em processo de transformação em quilombola.

O PAN-Bahia, que foi um dos quatro projetos da SRH aprovados pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente, no ano passado, também será executado em Guanambi e Itatim. O projeto é baseado no Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAN-Brasil) e será um instrumento inédito na Bahia para a definição de diretrizes e de ações de combate e prevenção à desertificação no semi-árido. O projeto é executado a partir de quatro diretrizes - mudanças climáticas, políticas públicas, desertificação e convivência com o semi-árido.

Festival

A SRH participa do I Festival de Convivência com o Semi-Árido, que acontece, nesta sexta-feira (9), no povoado de Roçadinho, no município de Serrolândia. O geólogo da autarquia, Baldoíno Neto, da Unidade Regional de Senhor do Bonfim, realizará palestra sobre Aquecimento Global, e o técnico da Unidade Regional de Irecê, Félix Barreto, Desertificação.

O objetivo é discutir as questões ambientais que vêm causando grandes mudanças climáticas na Terra, afetando diretamente a vida do povo do semi-árido. A comissão organizadora do festival acredita que ao conhecer melhor a realidade de cada um, todos juntos poderão cuidar melhor do planeta, criando melhores condições de vida para o povo nordestino.

mas/is

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget