2008-06-23

Agropecuária baiana lidera o número de empregos com carteira assinada

Mais uma vez, a agropecuária baiana lidera o número de empregos com carteira assinada gerados na Bahia. Segundo informações divulgadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego e analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), o estado teve um crescimento de 1,1% no mês de maio, com 13,6 mil novos postos de trabalhos, sendo 27,8% gerados pelo setor agropecuário.

"Esses dados comprovam a eficácia do novo modelo de gestão adotado pelo
Governo do Estado, que visa fortalecer a agropecuária baiana, não só no âmbito empresarial - com atração de grandes pólos - como também com investimentos e programas voltados para a agricultura familiar", explicou o secretário da Agricultura, Geraldo Simões.

No ano passado, o governo investiu, por meio da
Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), R$ 55 milhões na agricultura familiar, R$ 9 milhões a mais do que em 2006. A previsão é de que, este ano, os recursos aplicados ultrapassem a casa dos R$ 149 mil.

De acordo com o secretário, o governo tem tratado a questão do pequeno
produtor com prioridade e comprometimento. "Os recursos estão sendo alocados de forma variada para que venham a atender a demanda de cada região. Contudo, a prioridade é recuperar a Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola para levar assistência técnica ao pequeno produtor, garantindo mais produtividade".

A atenção dispensada para a questão da sanidade
animal também é apontada pelo secretário como um importante fator para o bom desempenho do setor no levantamento feito pelo MTE. A cobertura vacinal contra a aftosa, que alcançou a marca de 96,7% do rebanho baiano, além das barreiras sanitárias, que fiscalizam a entrada e saída de produtos agropecuários da fronteira, têm garantido a segurança necessária para o desenvolvimento das atividades no campo.

Índice geral

A Bahia se destacou no contexto nacional, superando significativamente o
desempenho do Brasil, que foi de 0,68%. Em relação ao Nordeste, o estado obteve um desempenho ainda maior. A região nordestina teve um crescimento do número de empregos com carteira assinada de 0,46%, isto é, 19.117 postos, sendo que a Bahia representa 71,2% deste total.

Ao todo, surgiram 8.244 novos empregos no interior (60,5%), enquanto que
na Região Metropolitana de Salvador foram abertas 5.375 vagas (39,5%).
Dentre os municípios com mais de 30 mil habitantes que se destacaram em
maio de 2008 estão Salvador (2.337 novos empregos), Camaçari (2.277), Juazeiro (2.099) e Itapetinga (690).

Nos cinco primeiros meses de 2008, foram criados 39.728 empregos com
carteira assinada no estado, o que corresponde um incremento de 3,27%, um valor relativamente próximo ao da média nacional, de 3,63%. Os destaques no acumulado de 2008 ficam por conta de Salvador (10.263), Camaçari (5.059), Itapetinga (2.676) e Feira de Santana (2.283).

ras/is

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget