2008-06-02

Bahia quer tazer turistas afrodescendentes para conhecer seus encantos

Salvador é o terceiro destino mais procurado pelos turistas afrodescendentes norte-americanos, logo após o Rio de Janeiro e São Paulo, e na frente de Foz do Iguaçu e Manaus. E justamente por isso, Rio de Janeiro e Bahia foram os Estados escolhidos como destaques pela Embratur para a primeira campanha publicitária do Ministério do Turismo dirigida ao público afro-americano.

Com lançamento previsto para a segunda quinzena de junho, a campanha deve se estender até setembro e terá investimento total de R$ 3,48 milhões para atingir revistas nacionais, sites voltados para o turismo e inserções na CNN, além de campanha de rua em Nova York, Miami e Los Angeles.

A Embratur aposta no público afrodescendente norte-americano, para quem foram produzidas peças exclusivas para a mídia especializada, como a revista Giant e a rede TV One, que têm programação abordando estilo de vida, entretenimento e turismo. Por serem os principais destinos de turismo étnico no Brasil, Rio e Bahia serão destaques nas peças de mídia.

“O lançamento de publicidade com alvo nesse público reforça as ações que o Ministério realiza desde o ano passado com objetivo de atrair os afrodescendentes, que nos Estados Unidos são um segmento organizado e de alto poder de consumo. Turistas negros americanos já visitam o Brasil em busca do resgate de suas raízes e encontram aqui muitos traços da cultura africana, especialmente nas tradições e festas populares. Com essas novas ações temos tudo para crescer neste segmento”, afirmou a ministra Marta Suplicy.

Pioneirismo

A Bahia, cuja capital, Salvador ,tem quase 80% da população afrodescendente, foi o primeiro estado brasileiro a estruturar o segmento do turismo étnico. A informação foi dada pela Ministra Marta Suplicy quando participou no dia 15 de maio de audiência pública promovida pela Comissão de Turismo e Desporto.

Segundo o secretário de Turismo da Bahia, Domingos Leonelli, o projeto de turismo étnico foi apresentado no ano passado ao Ministério do Turismo por iniciativa do Governador Jaques Wagner e da Secretaria de Turismo. “Nossa intenção é tornar o estado mais atraente para os turistas afrodescendentes norte-americanos, um público interessado em reatar suas raízes com a África", disse.

Premiado

O coordenador de Turismo Étnico da Secretaria de Turismo da Bahia, Billy Arquimimo, recebeu dia 25 de maio no Four Plus Hotels de São Paulo o III Prêmio África Brasil 2008, em comemoração ao Dia da Libertação da África, festejado em 25 de maio, instituído pela ONU em 1972.

Iniciativa do Centro Cultural Africano, o prêmio visa reconhecer e divulgar projetos, além de ações significativas que beneficiem diretamente a comunidade afro-brasileira, em várias áreas de atuação, como educação, artes e cultura, esporte, políticas públicas, poder público, relações exteriores e religião.

Alto poder de compra

Segundo pesquisa realizada em 2004 pelo Census and National Center for Educational Statistic Educational, a população afro-americana cresceu 35% desde 1990, enquanto seu poder de consumo aumentou 222% - dados que foram acompanhados por uma significativa evolução da escolaridade e ocupação de cargos de gerência.

Os turistas norte-americanos são, depois dos argentinos, os que mais visitam o Brasil (foram 700 mil em 2007). De acordo com o Estudo da Demanda Turística Internacional, realizado em 2006, 34,3% dos turistas americanos visitaram o Brasil para fazer negócios ou participar de congressos e convenções; 34,8% vieram encontrar familiares e amigos e 26,7% vieram a lazer. O gasto médio diário do turista americano é de US$ 138,84.

Uas/al

Nenhum comentário:

Arquivo


Teste sua Memória