2008-06-04

Embalagens de agrotóxicos são recolhidas através de campanha em Sobradinho

O pequeno agricultor Aderino Rodrigues Lopes, 66 anos, percorreu 15 quilômetros de bicicleta da zona rural até o povoado de Malhadinha, distrito de Remanso, a 720 quilômetros de Salvador, para devolver as embalagens vazias de agrotóxicos, usados como defensivo agrícola na produção de mandioca, melancia e milho. Ele sabe dos riscos que as embalagens podem acarretar à saúde da sua família e resolveu não queimar ou jogar a céu aberto, um problema histórico na região.

Aderino e mais de 30 pequenos produtores ajudaram o Governo do Estado a recolher, na Semana do Meio Ambiente, duzentos quilos de recipientes vazios de agrotóxicos. “Eu já usei as embalagens do veneno pra várias coisas, só que minha neta começou a ficar doente e eu fiquei preocupado”, admitiu. Ele desconfiou que a menina poderia estar intoxicada. “Hoje eu coloco num saco e penduro lá em cima da árvore, no quintal de casa, pra ela não pegar”, contou.

A iniciativa do produtor ainda não está correta. Por isso, uma equipe de técnicos dos governos municipal, estadual e federal está percorrendo a zona rural da região, a fim de sensibilizar os pequenos agricultores sobre a importância da destinação correta dos recipientes.

A campanha itinerante integra as atividades da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado nesta quinta-feira (5). A mesma atividade percorre a região de Casa Nova, nesta terça-feira (3), e Sobradinho, quarta (4).

As embalagens foram levadas ao posto de recolhimento de Remanso, construído pela Semarh e incorporado ao programa Campo Limpo, da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), que mantém sete centrais e quatro postos de recolhimento na Bahia, em parceria com o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev).

De acordo com a legislação federal 7.802 de 1989, compete ao fabricante de agrotóxico providenciar o recolhimento e dar a destinação final adequada às embalagens devolvidas às unidades de recebimento. O agricultor é responsável por transportar e devolver os recipientes vazios com tampa e rótulo à unidade de recebimento indicada na nota fiscal.

De acordo com a coordenadora do Programa de Desenvolvimento do Entorno do Lago do Sobradinho, Clélia Maria Vasconcelos, a campanha pretende conscientizar os pequenos produtores da região do Vale do São Francisco a reduzir o consumo de agrotóxico e que, após o uso, seja feita a tríplice lavagem e a entrega das embalagens nas centrais de recolhimento. “A iniciativa é mais uma ação do Estado para revitalizar o Rio São Francisco, já que muitas pessoas deixam os recipientes às margens do rio, contaminando a água e o solo”, justificou.

Segundo o coordenador do projeto Campo Limpo da Adab, Raimundo Ribeiro dos Santos, a dificuldade de locomoção, associada à distância, compromete a devolução das embalagens. ”Não temos problemas com a devolução dos recipientes dos médios e grandes produtores, porque estão mais acessíveis a meios de transporte”.

mas/is

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget