2008-07-04

Adab capacita produtores para prevenção e controle da monilíase do cacau

          Considerada uma doença mais devastadora que a vassoura-de-bruxa, a monilíase do cacau, provocada pelo fungo Moniliophtora roreri, causa perdas de até 100% dos frutos produzidos. Visando a prevenção e o controle dessa doença, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) inicia no próximo dia 8, no município de Gandu, o primeiro curso voltado para a capacitação de produtores na identificação e prevenção da monilíase do cacau.

Neste mês serão ministrados por técnicos da Adab e da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) cursos em Valença (dia 9), Mutuípe (10), Ipiaú (11), Camacã (15), Eunápolis (16), Itamaraju (17), Itororó (22) e Itabuna/ Ilhéus (24). Os cursos contarão com palestras sobre o manejo integrado da doença, bem como sobre o agente etimológico, sintomatologia e epidemiologia. No final de cada encontro, haverá um espaço destinado a debates sobre o assunto.
A ação faz parte do Programa de Prevenção e Controle à Monilíase do Cacaueiro, lançado pela Adab no início do mês passado, quando aconteceram seis cursos de capacitação direcionados aos técnicos e engenheiros agrônomos dos órgãos de defesa, pesquisa e extensão agrícola dos principais pólos produtores da fruta no estado. Ao todo, participaram cerca de 200 profissionais.
Cabe a todos estarem vigilantes para o perigo de uma possível introdução dessa doença na Bahia”, afirmou o diretor de Defesa Sanitária Vegetal da Adab, Cássio Peixoto. Segundo ele, a monilíase já está presente em países das américas Central e Latina, como também no Alto Amazonas, fronteira com o Peru, e seu avanço é de 100 quilômetros por ano em direção ao Brasil, “sendo imprescindível o estado possuir um rigoroso plano de contingência da doença”.


ras/om

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget