2008-07-10

Astrofísico da UESC integra conselho do Projeto Soar, no Chile

Com a nomeação do professor e pesquisador Henri Michel Pierre Plana, do Laboratório de Astrofísica Teórica e Observacional, do Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas da Universidade Estadual de Santa Cruz (Ilhéus/Itabuna), para o conselho diretor do Projeto Soar (Southern Astrophysical Research Telescope), no Chile, a Uesc passa a integrar um importante consórcio internacional na área da Astrofísica.

O Soar é um telescópio com espelho primário de 4,2 metros de diâmetro, instalado em Cerro Pachón, na região andina chilena. O financiamento e supervisão do equipamento de pesquisa têm como parceiros, o Brasil, representado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Universidade da Carolina do Norte, a Universidade Estadual de Michigan e o National Optical Astronomy Observatory (Noao), dos Estados Unidos.

Além do professor Plana, o país tem mais dois representantes no conselho, os astrofísicos Albert Bruch, do MCT/Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), e Marcos Perez Diaz (IAG/USP).

O professor Henri explica que o Brasil já participa também do Observatório Gemini, consórcio internacional que abriga telescópios gêmeos de 8,1m de diâmetro, localizados nos Andes chilenos e no Havaí. O número de noites a serem utilizados nesses telescópios é proporcional à parcela de contribuição de cada participante na construção e operação desses equipamentos, cabendo ao Brasil oito noites em cada telescópio.

De acordo com a comunidade astronômica brasileira, “os telescópios Gemini são instrumentos que permitem observações de alta qualidade, mas apenas alguns projetos podem ser contemplados com esse tempo, escolhidos dentre a grande demanda existente”, informa Plana. No Brasil, existem apenas alguns telescópios de 60 centímetros e um de 1,6 metros de diâmetro.

Na avaliação da comunidade, isso contrasta com a astronomia brasileira, que vem crescendo, continuamente, em cerca de 10% ao ano, havendo a necessidade urgente de expansão, por meio da criação de novos grupos de pesquisa no país, a serem liderados pelos pesquisadores em formação e que receberão vigoroso impulso com a concretização do Soar.

O telescópio Soar vai preencher, certamente, a lacuna existente entre o telescópio de 1,6 metros de diâmetro, localizado no Pico dos Dias, em Brazópolis, Minas Gerais, e os telescópios Gemini, suprindo a comunidade com um instrumento de porte intermediário, extremamente versátil, rápido, de ótica soberba e localizado em local privilegiado. Mais Informações sobre o projeto nos telefone (73)3680-5167, e-mail: plana@uesc.br w no site www.lna.br/soar/soar.html.

eas/is

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget