2008-07-09

Promoção de políticas públicas podem reduzir impactos das mudanças climáticas na Bahia

O impacto provocado por efeitos climáticos, em decorrência de fenômenos naturais e da ação humana, poderá ser amenizado com a promoção de políticas públicas baianas direcionadas a esse finalidade. Um memorando assinado nesta terça-feira (8) entre o Reino Unido e o Governo do Estado promete dar um passo decisivo, com o projeto Apoiando a Ação Estadual de Enfrentamento das Mudanças Climáticas.

De acordo com o projeto, a Grã-Bretanha vai disponibilizar 400 mil libras esterlinas, o equivalente a US$ 788 mil, no apoio à implementação de políticas estaduais de combate às adversidades climáticas na Bahia. Ao Estado, caberá a execução das propostas, realizando intervenções capazes de amenizar ou sanar os estragos decorrentes dos efeitos climáticos.

A partir da resolução de problemas locais, serão sugeridos resultados e soluções globais. O acordo terá duração de três anos, com conclusão prevista para o final de março de 2011, com possibilidade de alterações.

O memorando de entendimento foi assinado durante uma solenidade na Governadoria, na presença de especialistas na área ambiental. Entre eles, estava o coordenador do Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá), Renato Cunha. “O acordo certamente dará maior fôlego não apenas ao governo, mas também à sociedade, para o enfrentamento de problemas que afligem a todos”, disse ele, referindo-se ao processo de desertificação dos ecossistemas, aos desmatamentos, à poluição urbana e ao aquecimento global.

O documento foi assinado pelo governador Jaques Wagner, pelo embaixador do Reino Unido, da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte no Brasil, Peter Collecott, e pela diretora regional do International Council for Local Environmental Initiatives (Iclei), Laura Silva de Macedo. Com a tradução para o português, Iclei significa Conselho Internacional para o Desenvolvimento de Iniciativas Locais ligadas ao Meio Ambiente.

“Esse acordo simboliza uma garantia de desenvolvimento sustentável, social e ambientalmente falando. Iniciativas como essa motivam a sociedade a se engajar com mais afinco à questão ambiental”, declarou o governador Jaques Wagner. Ele lembrou ainda de outras ações que reafirmam o compromisso da Bahia com o meio ambiente – o desfile de trios elétricos com baixa emissão de gás carbônico no Carnaval e a Bahia como estado amigo da Amazônia, entre outros projetos.

Para o embaixador Peter Collecott, a parceria entre o Reino Unido e a Bahia é reflexo de um esforço exaustivo entre diversos países para tratar das mudanças climáticas nos últimos anos. “O Reino Unido considera prioridade uma economia próspera aliada à baixa emissão de gases poluentes na atmosfera. E aqui no estado da Bahia, encontramos essa mesma disposição, o que nos motiva a firmar um convênio como esse, que vai promover ações decisivas”, comentou Collecott.

O secretário estadual do Meio Ambiente, Juliano Matos, também considerou o acordo com o Reino Unido um avanço no tratamento que a Bahia vem dispensando à questão. “É mais um passo na consolidação do Fórum Estadual de Mudanças Climáticas, com o qual o estado vem promovendo importantes debates”, concluiu.

Gdf/al

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget