2008-08-01

Bahia é o estado campeão em alfabetização de adultos do país

Bernardo Barbosa, um jovem de vinte e poucos anos, condenado a cumprir pena de seis anos em regime fechado no Conjunto Penal de Valença, escreveu a primeira carta de sua vida, uma carta de amor.

Escreveu à esposa Carmelita, no Dia dos Namorados, dizendo que ela era a mulher mais linda, a mulher de sua vida. Foram as primeiras letras escritas pelo ex-analfabeto.

A dona de casa de Inhambupe, Selma Vieira, 30 anos, agora faz compras no supermercado sem precisar pedir informação a ninguém.

E a índia Pataxó Hã Hã Hãe Sônia Cardoso, do município de Pau Brasil, no extremo sul do Estado, depois que aprendeu a ler e escrever o próprio nome, assinou um contrato para ter acesso ao crédito do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf).

Essas são histórias de baianos contadas pelo brasileiro Lula da Silva, orgulhoso de ver vidas sendo transformadas a partir de uma ação de governo.

Acompanhado do governador da Bahia, Jaques Wagner, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, mais a primeira dama, Fátima Mendonça, os ministros Dilma Houssef ( Casa Civil), Fernando Haddad (Educação), Altemir Gregolim (Pesca e Aqüicultura) e Geddel Vieira Lima (Integração Nacional), participaram na tarde desta quinta-feira (29), no Centro de Convenções da Bahia, da certificação de 1,2 mil alunos do Topa (Todos pela Alfabetização), programa estadual que alfabetizou, só na primeira etapa iniciada no ano passado, 171 mil jovens e adultos com mais de 15 anos em 382 municípios. Quase o dobro da meta prevista para 2007, que era de 100 mil pessoas.

“A Bahia é o estado campeão em alfabetização do país: 15 mil turmas e 171 mil formandos em apenas um ano é um recorde nacional e uma marca que nenhum outro estado da federação possui”, afirmou o ministro Fernando Haddad aconselhando os outros governos a seguirem o exemplo, classificado por ele como um paradigma do resgate da dívida do estado brasileiro com o seu povo.

A solenidade, pontuada por momentos de emoção, lotou o salão Yemanjá com milhares de pessoas vindas de todos os cantos do interior. Eram alguns dos 15.183 alfabetizadores, 1.189 coordenadores de turma, 89 tradutores de Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) e representantes das quatro universidades estaduais e das 170 entidades da sociedade civil que aderiram ao programa.

“Este é um fato inédito na história da Bahia. Nunca uma ação governamental foi acolhida com tamanho entusiamo e tanto engajamento de um estado”, disse Lula , se referindo à extensa rede social que envolveu prefeitos de todos os partidos, igrejas, escolas, e principalmente, cidadãos comprometidos.

O presidente também chamou de heroínas, as educadoras que não mediram esforços para aprender, para ensinar, para ajudar. Entre elas, uma professora do sertão que se deslocou para um curso de capacitação em Vitória da Conquista com o filho de apenas dois dias de nascido nos braços. E outros tantos educadores que andavam seis quilômetros a pé para alfabetizar brasileiros que queriam aprender a ler e escrever. “Isso é motivo de muito orgulho”, afirmou o presidente.

Lula parabenizou o governador Jaques Wagner pelo fato de a Bahia ter a melhor política de educação de todos os 27 estados do Brasil, lamentando isso não ter acontecido no passado.

“Tudo isso poderia ter sido resolvido há 40, 50, 60 anos... Afinal de contas, esse país foi governado por muita gente letrada. O primeiro que não tem diploma universitário sou eu”, observou.

Reverenciando a memória do educador e rábula baiano Cosme de Farias, que em 1915 criou a Liga Baiana Contra o Analfabetismo, Jaques Wagner disse ser o analfabetismo “um crime hediondo, impossível de se conviver” na terra de educadores como Anísio Teixeira.

O Topa tem como objetivo alfabetizar um milhão de baianos até 2010. Para 2008, a previsão é cadastrar 300 mil baianos, numa continuidade da parceria com a União, prefeituras e entidade civil organizada.



Convênio para a cidadania - Durante a solenidade de formatura do Topa, os secretários estaduais Adeum Sauer (Educação) e César Nunes ( Segurança Pública) firmaram um convênio para a emissão, gratuita, da 2ª via da carteira de identidade dos estudantes do Topa que têm, no documento, a impressão digital do dedo polegar, ao invés da assinatura do próprio nome.

Essa foi uma reivindicação de uma turma de alfabetizados de Vitória da Conquista feita ao secretário da educação. “Eles já sabem assinar o nome e se sentem envergonhados ao apresentar a carteira”, explicou Adeum Sauer depois de enfatizar que esse é um direito de todos e que o ato simboliza o resgate da dignidade humana.

O lavrador Crispim dos Anjos foi o primeiro a receber a sua carteira pelas mãos do governador Jaques Wagner .

Ainda na ocasião, foi entregue o prêmio Cosme de Farias, de reconhecimento à pessoa física ou jurídica, que se destacou no Topa, no valor total de R$ 80 mil, divididos em cinco categorias.

Município: Mascote, no litoral sul, que encaminhou para as turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) mais de 50% dos alunos egressos do Topa.

Tradutor-intérprete de Libras: Marizete do Nascimento, de Simões Filho, alfabetizou três surdos do município.

Alfabetizador: Lêda da Rocha Silva, de Santo Antônio de Jesus, conseguiu alfabetizar 19 dos 21 alunos matriculados. Todos freqüentaram as aulas e três foram aprovados em concurso público do município

Entidade: Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais Sem Medo de Ser Feliz (MMTR), de Inhambupe, que tinha como meta alfabetizar 562 pessoas e cadastrou 1.513, sendo que 513 já estão matriculadas em turmas do EJA;

Alfabetizador-coordenador: Adelane Macedo, de Itabuna, atuou com 16 turmas e 207 alfabetizandos, inclusive os do Conjunto Penal, local onde quase ninguém se propôs a atuar.

Segundo Adelane, a vontade de ajudar o próximo a motivou: “Queria contribuir para a reinserção deles à sociedade através do Topa”, disse a professora.


mml/g/bs

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget