2008-08-18

Jazida com os mais altos teores de vanádio do mundo encontra-se em Maracás-Bahia

A jazida de vanádio localizada em Maracás, a 365 quilômetros de Salvador, no sudoeste baiano, apresenta um volume estimado em 17,3 milhões de toneladas e uma riqueza que a destaca entre outras no mundo.

Descoberta nos anos 80 pela Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), empresa vinculada à Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração (Sicm), a jazida, única do país, só começou a ser explorada neste governo.

Segundo os técnicos da CBPM, são os mais altos teores de vanádio que se tem notícia (1,44% de V2O5), superando os verificados nas minas da África do Sul, até então conhecidas como as de maior pureza. A liga produzida pela unidade minerária a partir de 2010, quando ela deve entrar em operação, será composta por 80% de vanádio e o restante de ferro. Sua capacidade de produção é de cerca de 5 mil toneladas/ano de ferro-vanádio.

O empreendimento ainda está em fase de pesquisas, realizadas pela empresa Vanádio de Maracás Ltda, do grupo canadense Largo Resources, vencedora de concorrência pública realizada pela CBPM em 2007. “Ocorreu um redirecionamento da política minerária do Governo da Bahia nesta gestão. Na atualidade, a promoção e o incentivo ao setor estão sendo efetuados com mais agressividade, aproveitando o presente momento de crescimento do segmento no mundo”, disse Nilton Silva Filho, diretor presidente da CBPM.

Royalties e commodity

A perspectiva da população é grande. O antigo sonho de ver a jazida explorada economicamente vira realidade agora. Até a entrada em operação, estima-se que mais de 1.500 empregos diretos e indiretos serão gerados.

O alcance social da atividade de mineração é incalculável, graças à sua capacidade geradora de postos de trabalho. Regiões com desenvolvimento econômico ainda restrito, como o semi-árido baiano, podem florescer em poucos anos, com a exploração do potencial minerário do estado, um dos maiores do Brasil.

O investimento para a instalação da mina e da unidade de beneficiamento e metalurgia está orçado em R$ 216 milhões. Se estivesse em operação hoje, o empreendimento renderia à CBPM, aproximadamente R$ 7,2 milhões em royalties por ano pela extração do minério. Além disso, a empresa detém cotas de participação na empresa de mineração.

O ferro-vanádio é o principal insumo para a fabricação de aços especiais de alta resistência, utilizados na fabricação de estruturas de aviões de grande porte, ferramentas, tubos de oleodutos, gasodutos e indústria farmacêutica. O mineral encontrado na Bahia permite obter concentrados magnéticos dentro das especificações para processamento hidrometalúrgico, sem necessidade de usar moagem extremamente fina. Essa característica faz do minério de Maracás uma commodity de alta aceitação no mercado mundial.


ias/is

Nenhum comentário:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget