2007-09-22

Tentativa de invasão do Palácio do Planalto para "Salvar a Bahia"

Invadir o Palácio do Planalto não é coisa fácil e pode resultar na morte de quem faz isso. Mas o lavrador Ângelo de Jesus, que tentou invadir o Palácio do Planalto (dia 20) tinha um bom motivo: salvar a Bahia. Na verdade, Ângelo é apenas um brasileiro mais corajoso, indignado com tanta roubalheira existente neste país. Aqui muitos roubam, mas será se alguma coisa roubada pelos políticos é devolvida?

Na matéria publicada pela Agência Brasil, consta a explicação do lavrador Ângelo:

"Eu só queria falar a Lula para ele salvar a Bahia, que é a minha bandeira. Vim pedir para ele botar o povo dele para fiscalizar mais a Bahia, porque ela está se afundando, está cheia de corrupção dos prefeitos", disse o lavrador.

Ângelo acrescentou que grande parte dos recursos que estão sendo enviados àquele estado não estão sendo investidos em áreas importantes, devido à corrupção nas prefeituras. "Eu vim avisar isso pra ele [Lula]. Ele não sabe dessa realidade, não. Jamais ele sabe dessas coisas. Eu sei que avisando a ele, ele vai me agradecer muito".

Segundo o lavrador, Gilberto Carvalho teria lhe prometido que o governo vai fiscalizar mais o estado. "Eles disseram que vão fiscalizar, que vão atender". Ângelo de Jesus veio para Brasília com a ajuda de "esmolas", mas negou passar qualquer tipo de dificuldades financeiras em sua cidade, Pindobaçu (BA). Ele, que é portador de hanseníanse, atualmente recebe benefício do INSS.

Ângelo retornou hoje ao Planalto logo depois de ter recebido alta do Hospital das Forças Armadas (HFA) para onde foi levado ontem. Seis seguranças precisaram segurá-lo e retirá-lo da entrada do prédio. Ao invadir a sede do governo federal, Ângelo estava muito nervoso e anunciava, por todo o tempo, que queria falar com o presidente Lula.

Ao ser detido, ele gritava: "presidente, socorre eu". Ângelo de Jesus disse que estava há quatro dias sem comer e precisava falar com Lula. Ele foi levado ao hospital por uma ambulância do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.

2007-09-17

Cia teatral Cara-de-Pau apresenta mais um sucesso em Irecê: "A morte de Mané Bufão"

Centenas de pessoas estão superlotando o auditório para assistirem a peça Colégio Modelo Luiz Eduardo Magalhães A Morte de Mané Bufão. Trata-se de mais um dos grandes espetáculos apresentado pela Cia Teatral Cara-de-Pau, sob a direção de Sólon Barreto.

Situações que atingem a maior parte dos brasileiros, como as dificuldades para arranjar emprego, contas que chegam e a falta de dinheiro para pagá-las, a preguiça, a velhice e a chegada da morte foram dramatizadas com grande talento pelos atores, que arrancam sucessivas gargalhadas da platéia, do princípio ao fim de "A Morte de Mané Bufão".

Cena da peça teatral "A Morte de Mané Bufão"
Você pode ver outras fotos aqui ...

Outras peças do grupo da Cia Teatral Cara-dePau:

  • Síndrome de Cinderela
  • Herança do Nada
  • O Auto da Compadecida
  • Quem vem pru Jantar
  • O Chá das Cinco
Ficha técnica:

Texto adaptado e direção:
Sólon Barreto

Produção:
Renato Sampaio

Iluminação:
Rafael Ribeiro

Equipe técnica:
Alexandre Gomes e Luiz Carlos

Astros e estrela:

  1. Cleonildo Leite
  2. Gideoni Bezerra
  3. Péricles Barreto
  4. Rafael Fernando
  5. Talita Diniz.

Apresentações: sextas, sábados e domingos, no auditório do Colégio Modelo.

Arquivo


Teste sua Memória