2008-03-22

ONG aponta mercantilização e contaminação dos recursos hídricos no Brasil

Com base no argumento de que o acesso à água é um direito fundamental, ativistas da Organização Não Governamental (ONG) Defesa da Vida estão colhendo assinaturas para garantir o abastecimento gratuito de pelo menos 45 litros de água tratada por dia por habitante. “É o mínimo necessário para o ser humano sobreviver, tenha ele condições [financeiras] ou não, já que água é fonte essencial à vida”, defende Leonardo Morelli, secretário-geral da Defensoria da Água, comitê criado pela ONG em 2004.

Na avaliação de Morelli, as empresas de abastecimento e saneamento estão assumindo posturas de mercado na gestão dos recursos hídricos. “É cada vez mais privatista. Não pagou a conta, corta [o abastecimento]”.

Baseada em cerca de 500 mil notificações recebidas de consumidores, a ONG produziu o relatório O Estado Real das Águas no Brasil, divulgado na última semana. De acordo com o documento, mais de 43% das reclamações referiam-se a tarifas e dificuldades em pagar as contas de água. A segunda maior causa de notificações foram denúncias e relatos de contaminação das águas. Entre 2004 e 2008, a poluição de rios, lagos e lagoas cresceu 280%, de acordo com o relatório.

Os dados, segundo Morelli, apontam para três causas principais para o avanço da contaminação: as atividades do agronegócio e da indústria, “porque utilizam produtos tóxicos e acabam jogando os resíduos nas águas, sem metodologia ou tecnologia de tratamento”, segundo Morelli; a falta de políticas de tratamento de esgoto eficientes e o acúmulo de lixões a céu aberto.

“Há uma falta generalizada de controle e de fiscalização da geração, da destinação e do tratamento de resíduos, sejam eles urbanos, de saúde ou residenciais”, avalia.

O relatório lista as dez empresas mais poluidoras das águas no Brasil, de acordo com prejuízos provocados aos recursos hídricos por ações ou omissões em relação a vazamentos ou depósitos irregulares de resíduos. Na lista estão a Petrobras, a Shell, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), a Gerdau, a Votorantim, a Brasken, a Fundição Tupy, a Cargill, a Aracruz a Celulose e a Vale.

Procuradas pela reportagem, a maior parte das companhias não respondeu as denúncias por afirmar desconhecimento do relatório. A CSN, apontada como responsável pelo armazenamento de substâncias consideradas cancerígenas, respondeu que o resíduo em questão, a escória, é classificado como “não-perigoso” pelas regras de certificação brasileiras. A empresa afirmou ainda que divulga anualmente seu passivo ambiental e que atua sob registro de autoridades públicas ambientais.

Apesar de considerar “preocupante” a situação das águas no Brasil, Morelli aposta em medidas “positivas” para reverter o atual quadro, entre elas a gestão integrada dos recursos hídricos, a proteção de reservas consideras estratégicas para o país, como o Aqüífero Guarani, mais controle sobre as atividades industriais e do agronegócio e investimentos em ciência e tecnologia para fomentar pesquisas sobre o tema.
“Além disso, temos condições de levar à OEA [Organização dos Estados Americanos] a proposta de uma organização latino-americana de defesa da água e da biodiversidade. Há uma demanda internacional muito forte e tem que haver um contraponto à política da OMC [Organização Mundial do Comércio], que tende à mercantilização desse recurso natural”.

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Conversar no celular quando ao volante é igual a dirigir bêbado


Conversar no celular quando ao volante reduz a concentração de um motorista em até 37%, levando-o a cometer tipos de erro semelhantes aos ocorridos quando se dirige embriagado, de acordo com estudo da Universidade Carnegie Mellon em Pittsburgh, no Estado americano da Pensilvânia.

Pelo menos é o que consta em matéria da BBC intitulada Usar celular no volante é tão perigoso quanto guiar bêbado, diz estudo:

O uso de celulares para conversar, discar e enviar texto têm sido motivo de preocupações ligada a questões de segurança, mas este estudo, pela primeira vez, usou imagem de ressonância magnética do cérebro para documentar o efeito do simples ato de ouvir o interlocutor durante uma ligação.

A redução da atividade cerebral associada à direção de um veículo pode levar o motorista a se mover de uma pista para outra de maneira errática, como foi verificado em testes feitos com 29 voluntários usando um simulador. Este é um erro comum entre motoristas embriagados.

As conclusões do estudo, que será divulgado na revista especializada Brain Research, mostram que fazer ligações com celulares sem necessariamente ter que segurá-los na mão não é suficiente para eliminar a distração para os motoristas.

Eles precisam manter não apenas as suas mãos na direção mas também o cérebro concentrado na rua, disse o neurocientista Marcel Just, diretor do Centro para Imagem Cerebral Cognitiva.

Outras distrações, como comer, ouvir rádio ou conversar com um passageiro, também podem desviar a atenção do motorista da condução do veículo, mas não se sabe ainda como essas atividades podem ser comparadas ao uso do telefone celular.

2008-03-20

Brasil apresenta proposta para substituição do tabaco por plantações destinadas ao biodiesel

O Brasil apresentou ao grupo internacional que estuda alternativas econômicas ao plantio de tabaco proposta para substituir as plantações por culturas usadas na produção de biodiesel, como a mamona.

Assistam este vídeo interessante:

Baixa Grande é destaque em copas de futebol no interior

A seleção de Baixa Grande é o destaque das copas de futebol promovidas pela Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb) no interior, dentro do programa Dimensão Social do Esporte e Lazer. A equipe lidera a Copa do Jacuípe com 10 pontos ganhos, sendo seguida por Pé de Serra. Pela segunda edição da Copa do Caju, as lideranças estão com Adustina e Cícero Dantas (Grupo A) e Jorro (Grupo B), todas com quatro pontos.

Para este final de semana, a rodada começa sábado, com a Copa do Caju. Jorro e Nova Soure entram em campo, ficando para domingo as partidas envolvendo as seleções de Cícero Dantas e Banzaê, Adustina e Antas e Cipó e Itapicuru.

Dentro da segunda edição da Copa do Jacuípe, serão mais três partidas: Pé de Serra x Pintadas, Capim Grosso x São José e Várzea da Roça x Mairi. Nesta competição, o artilheiro é o atacante Bido (Baixa Grande), com oito gols em três rodadas, enquanto o meia Tarcísio (Cícero Dantas), com dois gols, lidera a artilharia da Copa do Caju.

tas/om

Uefs convoca candidatos do Universidade para Todos para seleção

A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) realiza seleção para os cargos destinados ao Programa Universidade para Todos, entre segunda e quarta-feira, (24 e 26). Quem se inscreveu deve consultar os respectivos horários e locais da seleção nas listas afixadas no prédio da Administração Geral, campus universitário. A consulta também pode ser feita no portal www.uefs.br, seção Mural/Proex.

Os candidatos a cargos referentes a apoio administrativo serão submetidos a prova escrita, análise de currículo e entrevista. Para os que concorrem a vagas de auxiliares será realizada uma entrevista.

Esta é a primeira seleção realizada pela Uefs visando o preenchimento de cargos do Universidade para Todos. Das 117 vagas oferecidas, 80 são para professores-monitores (destinadas a alunos da graduação e da pós-graduação) e cinco para apoio pedagógico (estudantes de licenciatura), além de uma para coordenador administrativo e duas para secretário administrativo (servidores da Uefs). Foram reservadas, ainda, 17 vagas para a função de apoio administrativo e 12 para auxiliar de serviços gerais, destinadas à comunidade externa.


Eas/al

2008-03-19

Edital seleciona 150 pontos de cultura na Bahia

Grupos de capoeira, teatro, dança e música, bibliotecas comunitárias, associações nas áreas de artes plásticas e audiovisual, grupos de cultura popular, indígenas e quilombolas. Estas são algumas das instituições da sociedade civil que podem ser transformadas em pontos de cultura.

Por meio de edital público, serão selecionadas mais 150 entidades para impulsionar as ações culturais nas diversas comunidades baianas. Cada uma receberá R$ 60 mil por ano, até 2010. O lançamento do edital acontece no dia 26 deste mês, no II Encontro de Dirigentes Municipais de Cultura, em Vitória da Conquista.

A Bahia, terceiro estado em número de pontos de cultura no Brasil (59 implantados pelo MinC), reúne iniciativas de sucesso, como o projeto Grãos de Luz e Griô, na Chapada Diamantina. A metodologia de estímulo à tradição oral, iniciada na Bahia, já está sendo difundida para o resto do país.

Também são pontos de cultura a Eletrocooperativa, que promove no Pelourinho oficinas de educação musical e arte digital para jovens de baixa renda, e o projeto Bankoma, uma das revelações entre os blocos afro que desfilaram este ano no Carnaval de Salvador.

Para concorrer ao novo edital, é preciso ter CNPJ e atuar há pelo menos dois anos na área de cultura. As instituições também não podem ter fins lucrativos ou econômicos. A seleção, que será realizada pela Secretaria Estadual de Cultura (Secult), é dirigida a associações, sindicatos, cooperativas, consórcios, ONGs (organizações não-governamentais), Oscips (organizações da sociedade civil de interesse público) e OS (organizações sociais). Cada organização tem a oportunidade de inscrever mais de uma proposta, mas apenas uma poderá ser selecionada.

Como não há exigência de um modelo único, o ponto de cultura pode ser instalado em espaços variados e desenvolver atividades diversificadas, desde que consiga agregar diferentes agentes culturais e impulsionar ações que já existiam na comunidade, servindo como um elo entre a sociedade e o Estado. Estão incluídas aí oficinas de capoeira, teatro, música, dança e restauração, até a criação de um estúdio de gravação de hip-hop, formação de grupos circenses, círculos de leitura, cineclubes, produção de roteiros e criação de rádios comunitárias.

O investimento total para a implantação dos 150 novos pontos de cultura é de R$ 27 milhões, em três anos, sendo R$ 18 milhões do MinC e R$ 9 milhões da Secult.

No primeiro ano, dos R$ 60 mil recebidos por cada ponto, R$ 25 mil devem ser aplicados na compra de um kit multimídia em software livre, formado por microcomputador, miniestúdio para gravar CD, câmera digital, ilha de edição, entre outros equipamentos conectados por meio da internet. A idéia é fazer com que imagens, sons e produtos circulem e possam ser compartilhados pela comunidade entre os diversos pontos de cultura da Bahia e do país.

Escolha das propostas

Serão escolhidas as propostas que tenham como público-alvo estudantes da rede pública, crianças, adolescentes ou adultos em situação de vulnerabilidade, populações de baixa renda, habitantes de comunidades indígenas, quilombolas e rurais, além de portadores de deficiência e outros grupos minoritários. Entre os critérios de desempate, estão o atendimento a municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e as prioridades eleitas nos encontros territoriais de cultura realizados pela Secult no ano passado.

Os projetos selecionados serão divulgados no Diário Oficial do Estado e no site www.cultura.ba.gov.br. Para facilitar a inscrição e o preenchimento dos formulários, serão produzidos um manual e uma cartilha com dicas e o passo-a-passo para o cumprimento de todas as exigências do edital. Estão previstas ainda oficinas para orientar os interessados em participar da seleção. A primeira delas já está agendada: será em Vitória da Conquista, durante o II Encontro de Dirigentes Municipais de Cultura, que acontece de 26 a 28 deste mês.


Quem não pode participar


Não poderão se inscrever pessoas físicas, organizações com fins lucrativos ou econômicos, instituições de ensino e pesquisa (públicas ou privadas), associações de pais e mestres, fundações e institutos criados ou mantidos por empresas ou grupos de empresas, além de entidades integrantes do Sistema S, como Sesc, Senac, Sesi, entre outras, assim como entidades ou grupos que já sejam pontos de cultura conveniados com o MinC.


cas/om

Pólos de informática começam a ser estruturados no interior

Cidades como Vitória da Conquista, Feira de Santana e Jequié estão estruturando pólos de informática com foco no desenvolvimento de softwares. O assunto foi abordado ontem (18) num seminário realizado pela Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com o Sebrae/BA. Os pólos reunirão empresas de tecnologia da informação (TI), centros de pesquisa e instituições de fomento, numa articulação com foco no desenvolvimento do setor no interior.

Um dos pólos já estruturados fica em Ilhéus, respondendo por 20% da produção nacional de computadores. Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos, Computadores e Informática de Ilhéus e Itabuna (Sinec), Gentil Pires, o faturamento das empresas do pólo em 2006 foi superior a R$ 2 bilhões. “Nosso pólo foi responsável por 53% do recolhimento de ICMS da região, o que corresponde a R$ 24 milhões”, disse.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Ildes Ferreira, afirmou que o fortalecimento dos pólos no interior vai potencializar o ciclo de desenvolvimento dos municípios baianos. “A diretriz do governo é descentralizar os investimentos que antes eram direcionados apenas para Salvador”, explicou.

Para fomentar o fortalecimento dos pólos, a Secti está atuando na capacitação técnico-empresarial, em parceria com o Sebrae/BA, e mobilizando a articulação entre os empresários.

Financiamento de projetos

Com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), a secretaria lançou o Edital para Desenvolvimento de Soluções Inovadoras no Campo das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), no valor de R$ 1 milhão, para financiar projetos de pesquisa que resultem na criação de produtos, processos, métodos ou sistemas que ainda não existam no mercado ou que apresentem características novas em relação às usadas hoje.

Em Vitória da Conquista, está sendo estruturado o Pólo Digital do Sertão, previsto para reunir empresas de TIC de 60 municípios da região. A coordenadora- executiva do pólo, Vanessa Bittencourt, disse que o envolvimento da academia na iniciativa vai permitir a agregação de valor aos produtos e serviços ofertados no campo da TIC.

Ela informou que existem demandas reprimidas por softwares em diversos setores da economia, ao tempo em que os alunos que se formam em computação não ficam no município. “Estamos perdendo nossos talentos para centros mais estruturados”, declarou.

xas/om

2008-03-18

Uso de carros oficiais tem novas regras

Decreto estabelece novas regras para uso de carros oficiais, conforme matéria publicada pela Repórter da Agência Brasil/Hugo Costa:

Brasília - Novas regras para a utilização de veículos oficias do governo federal entram em vigor a partir de hoje (18). Decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) determina mudanças na finalidade de carros de serviço próprios ou de prestadoras terceirizadas. A medida vale para a administração direta, autarquias e fundações.

Os veículos de transporte institucional, freqüentemente requisitados por dirigentes de fundações, autarquias e chefes de gabinete de ministérios, estão entre os que terão uso restrito. O acesso a aeroportos e rodoviárias não poderá ser feito com esses carros mesmo em viagens de trabalho, quando houver indenização prevista.

Outra alteração publicada diz respeito à restrição do uso de veículos durante os finais de semana. O uso fico proibido, exceto para atividades eventuais de trabalho e quando, por questões de segurança, for requisitado para a família do presidente ou do vice-presidente da República.

A guarda de carros oficiais em garagens de residências também foi vedada. Concessões poderão ser feitas apenas por meio de autorização da maior autoridade do órgão responsável.

As regras previstas no decreto valem para carros apreendidos pela polícia que estão em uso público em decorrência de autorização judicial.

A Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento publicará normas complementares em até 60 dias. Outras modificações específicas são de responsabilidade dos órgãos, autarquias e fundações públicas.

A Bahia já pode exportar banana para a Argentina

A Bahia, maior estado produtor de banana do país, já está apta a exportar para a Argentina. Segundo determinação do Mercosul, nos requisitos fitossanitários para comercialização de banana entre os países integrantes do bloco, é exigido um laudo que ateste a ausência do Bradinothrips musam. Este laudo passará a ser emitido por técnicos da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri).

“Agora os produtores de banana terão a oportunidade de ampliar seu mercado também para a Argentina. A exportação para o Mercosul estava em risco, por não existirem técnicos habilitados para a emissão deste laudo”, afirmou o diretor de Defesa Sanitária Vegetal da Adab, Cássio Peixoto.

Técnicos da Adab participaram de um treinamento para identificação de pragas existentes na cultura da banana. O curso foi ministrado pelo Laboratório de Taxonomia do Setor de Entomologia da Universidade de São Paulo, em Piracicaba (SP).

Segundo Peixoto, as barreiras sanitárias, embora imponham resistências para importação, quando superadas, representam um importante reforço para a competitividade comercial dos produtos agropecuários. No caso das barreiras fitossanitárias, o objetivo é proteger as plantas e as frutas de doenças e pragas.

Agricultura familiar

A produção de banana na Bahia está concentrada na agricultura familiar, que representa 60% dos produtores. O estado produz 1,28 milhão de toneladas/mês em cerca de 85 mil hectares. O maior pólo produtor de banana na Bahia fica no município de Bom Jesus da Lapa, que possui 530 hectares de banana do tipo cavendish, exportando 240 toneladas/mês. A previsão é que o município amplie sua área de plantio para 1.500 hectares, visando atender à demanda da exportação.

Outros importantes pólos produtores de banana do estado a serem beneficiados são os das regiões cacaueira e extremo sul. Na microrregião composta pelos municípios de Gandu, Wenceslau Guimarães, Tancredo Neves, Teolândia, Piraí do Norte, Nova Ibiá e Itamari, são 14 mil hectares cultivados, com uma produção de 35 mil toneladas/ano, gerando cerca de 14 mil empregos diretos e 20 mil indiretos.

“O cultivo de banana vem dando um novo impulso à economia baiana, reduzindo a dependência do cacau. Com a adoção de novas técnicas, em parceria com a Adab, EBDA, Embrapa e Ceplac, estamos melhorando a qualidade do produto e atingindo novos mercados”, afirmou Renato Dias, integrante do Comitê Gestor de Complementação de Renda da Região Cacaueira/Regional Gandu.

ras/om

2008-03-17

Ministro da Agricultura e da Fazenda discutem dívida agrícola

Segundo a Agência Brasil, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, teve hoje (17) a primeira reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para discutir soluções para o endividamento do setor agrícola.

"É uma coisa difícil, complexa e que envolve operações dos últimos 20 anos, por razões as mais diversas e com taxas de juros diferentes", disse Stephanes.

O ministro não falou em números, mas deixou o Ministério da Fazenda certo de que pelo menos 70% das pendências podem ser resolvidas.

O ministro informou que as equipes técnicas dos dois ministérios vão se reunir amanhã (18) e quinta-feira (20) para rediscutir os números básicos e fazer os ajustes necessários para serem apresentados em nova reunião dos ministros da Agricultura, da Fazenda e do Desenvolvimento Agrário com parlamentares das comissões de Agricultura da Câmara e do Senado, na terça-feira (25) da semana que vem.

Evento discute inserção da agricultura familiar na cadeia produtiva do biodiesel

Nesta terça-feira (18), das 14 às 18h, acontece no Salão Azul da Fundação Luis Eduardo Magalhães, mais um encontro do evento Rodadas de Discussão sobre temáticas Relacionadas ao Biodiesel, com o tema a “Viabilidade da participação da agricultura familiar no projeto biodiesel: aspectos econômicos, financeiros e de gestão”.

Estarão presentes, Jânio Rosa, representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Ailton Florêncio, superintendente de Agricultura Familiar da Secretaria da Agricultura (Suaf/ Seagri), Tatiana Silva, assessora especial da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e Lenart Palmeira, coordenador de Tecnologia Social da Gerência de Responsabilidade Social da Petrobras. O coordenador da mesa será Wilson Dias, da Suaf/Seagri. Outras duas mesas de discussão acontecem nos dias 25 deste mês 1º de abril.

pas/is

Reunião de dirigentes municipais para discutir rumos da cultura na Bahia

Prefeitos, secretários e diretores da área cultural de diversos municípios participam, de 26 a 28 deste mês, em Vitória da Conquista, do II Encontro de Dirigentes Municipais de Cultura, que tem como uma das metas, integrar os municípios para fortalecer a cultura baiana, principalmente no interior do estado.

O encontro será realizado no Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima e marcará o lançamento do edital para a implantação de mais 150 Pontos de Cultura na Bahia. Na solenidade de abertura estarão presentes, o secretário-executivo do Ministério da Cultura, Juca Ferreira, o governador Jaques Wagner e o secretário de Cultura da Bahia, Márcio Meirelles.

Para se inscrever e ter direito a voto no evento, o dirigente municipal ou representante da prefeitura deve apresentar documento oficial do município assinado pelo prefeito, o que pode ser feito no momento da inscrição, via fax ou e-mail (forumdeculturadabahia@gmail.com e (77) 3422-8215), onde também podem ser obtidas mais informações.

A idéia do encontro é definir ações concretas que garantam a descentralização dos recursos e a construção dos planos municipais, territoriais e estadual de cultura. Além dos debates sobre políticas culturais, está prevista a apresentação de projetos bem sucedidos na área da cultura.

Durante o encontro também será eleita a nova diretoria-executiva do Fórum de Dirigentes Municipais de Cultura, que foi constituído durante o I Encontro de Dirigentes Municipais de Cultura e é um espaço de comunicação permanente para o planejamento, formulação e execução de políticas públicas para a cultura.

Pontos de Cultura

Durante o encontro será lançado o edital de seleção das 150 organizações que receberão recursos para impulsionar as ações culturais em diversas comunidades baianas. Podem participar, grupos de capoeira, teatro, dança e música, bibliotecas comunitárias, associações nas áreas de artes plásticas e audiovisual, grupos de cultura popular, comunidades indígenas e quilombolas, entre outras organizações da sociedade civil. Cada uma receberá R$ 60 mil por ano até 2010.

Para facilitar a inscrição e o preenchimento dos formulários, será produzido um manual com dicas e o passo-a-passo para o cumprimento de todas as exigências do edital. Estão previstas ainda oficinas para orientar os interessados em participar da seleção. A primeira delas já faz parte da programação paralela do II Encontro de Dirigentes Municipais de Cultura.

A Bahia é o terceiro estado em número de Pontos de Cultura no Brasil e, com o edital, vai ampliar esse número para aproximadamente 200 pontos. Para concorrer ao novo edital é preciso possuir CNPJ e atuar há pelo menos dois anos na área de cultura. Como não há exigência de um modelo único, o ponto pode ser instalado em espaços variados e desenvolver atividades diversificadas desde que consiga agregar diferentes agentes culturais e impulsionar ações que já desenvolviam na comunidade, tecendo um elo entre a sociedade e o estado.

O investimento total para a implantação dos 150 novos Pontos de Cultura é de R$ 27 milhões, em três anos, sendo R$ 18 milhões do Ministério da Cultura (MinC) e R$ 9 milhões da Secretaria de Cultura da Bahia (Secult).


cas/is

Ano da França no Brasil vai contemplar todas as áreas culturais

Já começaram os preparativos para o Ano da França no Brasil. O evento, que ganhou o nome oficial de França.br, terá programação em diversos locais do país, a partir de 2009. A Bahia foi um dos estados escolhidos para participar das comemorações.

Segundo o embaixador e presidente do Comissariado para o Ano da França no Brasil, Yves Saint-Geours, a programação cultural mostrará a contemporaneidade francesa aos brasileiros. Ele esteve em Salvador na semana passada para discutir com dirigentes da Secretaria Estadual de Cultura (Secult) os projetos para atividades culturais que devem acontecer no país.

Em reunião na Fundação Cultural, que contou com a participação do secretário de Cultura, Márcio Meirelles, foram discutidas as linhas-guia da programação na Bahia.

O França.br terá três eixos de ação: o França Hoje, que diz respeito à criação artística, inovação tecnológica, pesquisa científica, debate de idéias, dinamismo econômico; o França Diversa, que trata da diversidade da sociedade francesa, de know-how e regionalismo, e o França Aberta, uma busca de parcerias franco-brasileiras que devem inspirar os projetos, além de parcerias franco-brasileiras com outros países do mundo (África, Caribe, América Latina), e debates sobre os grandes temas da globalização.

A idéia é contemplar todas as áreas culturais e serão privilegiadas atividades que deixem alguma contribuição duradoura. Para Meirelles, a importância que está sendo dada à participação da Bahia nesse evento mostra que o estado está mais aberto para dialogar com o mundo.

“Ficamos muito tempo ilhados e o que chegava lá fora eram apenas as tradições culturais do Recôncavo e as manifestações mais visíveis do mercado musical. Queremos que esse evento seja também uma oportunidade para ampliarmos o nosso diálogo cultural com a França e para inserir a cultura contemporânea produzida na Bahia no cenário internacional”, afirmou o secretário.

Como inscrever os projetos

Os projetos culturais brasileiros serão submetidos à aprovação do comitê nacional, enquanto os franceses devem apresentar seus trabalhos ao comissariado do seu país. “É importante ressaltar que para receber a chancela do comitê brasileiro os projetos precisam ter parcerias já estabelecidas com artistas ou instituições culturais francesas, bem como informações sobre sua implementação e financiamento”, explicou a assessora de Relações Internacionais da Secult, Monique Badaró.

O formulário para inscrição já está disponível no site do Ministério da Cultura (www.cultura.gov.br). Já os projetos que ainda não têm parcerias podem ser enviados à comissão estadual (internacional@cultura.ba.gov.br), criada para articular a participação da Bahia com projetos de qualidade. Esta comissão selecionará projetos baianos e, caso haja necessidade, tentará ajudar na identificação de parcerias e financiamentos.

O França.br está previsto para acontecer entre 21 de abril e 15 de novembro de 2009. O objetivo do evento é aproximar os dois países e colocar em estreita colaboração mútua os seus cidadãos, os representantes oficiais, os recursos econômicos, além de profissionais da cultura, artistas, intelectuais, pesquisadores e a mídia.

A organização do evento é coordenada por comissariados dos dois países. O presidente da Comissão Nacional do Ano da França no Brasil é Danilo Santos de Miranda, atual diretor-geral do Sesc de São Paulo.

Para a comissária responsável pelo Ano da França no Brasil, Anne Louyot, também presente à reunião, as expectativas em relação ao evento são de fortalecer a parceria com o Brasil, “que é um importante país no cenário internacional. A idéia é fazer uma parceria não só entre governos e elites, mas entre com a sociedade”. Mais informações no (61) 3316-2065.

2008-03-16

Apreensão de remédios falsificados é rotina no país

Apesar dos mecanismos de proteção criados nos últimos anos, como o lacre, a apreensão de remédios falsificados é rotina no país.

Em 2007, foram 400 mil unidades e 70 mil este ano.

Assista ao vídeo:

Arquivo


Ocorreu um erro neste gadget