2007-11-24

Prefeitos do Platô de Irecê são contra a transposição do São Francisco

Muito se fala na transposição do São Francisco e as opiniões são divergentes. Para uns, algo que trará a subsistência para as populações mais carentes, para outros, miséria.

Dr. Manoel Gabriel dos Santos, popular Doutor Nel, prefeito de Barra do Mendes, acha que a transposição vai gerar miséria.

Em matéria publicada na Agência Brasil, no dia 26 de março, ele disse que os 21 municípios que formam o Platô do Irecê, no noroeste baiano, são contrários à transposição do Rio São Francisco.

“Se fossem tirar nossa água só para matar a sede do povo, menos mal. Mas estão levando nossa água para projetos de desenvolvimento no nordeste setentrional. Com isso não concordamos”, afirmou o prefeito, cuja região fica a cerca de 200 quilômetros da represa de Sobradinho.

Para Doutor Nel, antes da transposição o governo federal deveria implementar projetos de revitalização e de compensação no Platô do Irecê que, segundo ele, é carente em saneamento básico, barragens, programas de irrigação e de geração de emprego e renda.

“Eles deveriam cuidar primeiro dos ribeirinhos do São Francisco – depois resolveriam os problemas dos mais distantes. Não que o irmão que está a 700 quilômetros do rio não mereça ter água, mas é preciso antes cuidar dos que sofrem aqui”, frisou.

O prefeito, que até janeiro presidiu a União dos Municípios do Platô do Irecê, disse acreditar que a transposição vai secar ainda mais o rio e seus afluentes: “Os rios estão cheios de bancos de areia. Vamos somar ainda mais dificuldade no futuro”. A cidade de Barra do Mendes, explicou, é cortada por dois afluentes do São Francisco, os rios Verde e Jacaré, e a nascente deste secou no ano passado.

Para ele, “existem outras alternativas", como projetos de revitalização do rio, como a despoluição e o combate ao assoreamento, e também o desenvolvimento de programas de irrigação e de geração de renda, que atenderiam às populações do Platô do Irecê.

Doutor Nel lembrou que dois projetos de irrigação estão parados há anos. “A única coisa que andam fazendo é um trabalho com quilombolas na região. E só”, ressaltou. Ele é prefeito pela segunda vez do município de 15 mil habitantes, a 80 quilômetros da margem do São Francisco.

A licença ambiental concedida na sexta-feira (23/03) pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que permite o início das obras de transposição, deixou a comunidade triste, segundo o prefeito, para quem havia uma “convicção” que o projeto não sairia do papel.

“Mas agora descobrimos que fomos vencidos. Isso nos deixa tristes. Acho que o presidente Lula e todos os envolvidos na transposição estão enganados. Deviam olhar primeiro para os ribeirinhos, que estão numa situação de penúria”, concluiu.

Barra do Mendes produz banana, feijão, mamão e milho. Há ainda criação de gado e extração mineral (cristal de rocha e diamantes).

2007-11-23

Marcionílio Rosa, um poeta repentista imortalizado em Irecê

Marcionílio Rosa até hoje é lembrado por muita gente em Irecê, apesar de já ter falecido há muitos anos.

Lembram dele principalmente por seu talento como repentista e poeta, que se destacava em diversos eventos, podendo fazer rimas durante horas seguidas, disputando com talentosos repentistas "nordestinos".

Nasceu em Juá Velho, município de Gentio do Ouro, no início do século. Veio para Irecê no ano de 1921, em companhia de Pedro Batista.

Casou-se em Irecê com Filomena Santos Rosa, com quem teve os filhos: José, Manoel, Jubilino, Almira, Maria, Alzira e Jovintina dos Santos Rosa.

No ano de 1955, “Seu Maçu” como era mais conhecido, mandou construir uma escola na Boa Vista, e trouxe uma professora de fora, para ensinar seus filhos e os filhos dos outros.

Tinha muitos amigos em Irecê. Um deles chamava-se Arlindo Martins de Abreu, morador tradicional da Av. Tertuliano Cambui e comerciante. Maçu sempre passava na Av. Tertuliano Cambui, quando vinha da Fazenda Norte, para cumprimentar o amigo, tomar uma “pinga” e cantar um coco.

Durante os festejos juninos do ano de 1963, uma bomba estourou na mão de Marcionilio Rosa, vindo ele a morrer em conseqüência disso.

Fonte: livros do escritor Jackson Rubem: Irecê: História Casos e Lendas; Irecê, Um Pedaço Histórico da Bahia; Irecê, A Saga dos Imigrantes); O Aniversário de Irecê; Brasileiros Pré-Cabralianos (Brazilians Before Cabral), publicado em Inglês e Português.

2007-11-22

Jovens de Irecê dão o primeiro grito da juventude sertaneja, em Salvador

Sai hoje à noite, da Praça da Prefeitura, dois ônibus lotados de estudantes rumo a Salvador, a fim de fazerem ecoar na Capital da Bahia, o primeiro grito da juventude sertaneja.

Segundo o jovem mestre de obra Cláudio, dos jovens que concluem o curso de ensino médio, em Irecê, aproximadamente 3% conseguem ir para a faculdade, 17% vão fazer cursinhos e 80% desistem de estudar, porque as opções de cursos superiores em Irecê, ainda são limitadas.

A juventude sertaneja se reunirã com os reitores da UNEB e UFBA e reivindicarão novos cursos superiores para Irecê, uma microrregião com quase 500 mil habitantes e muito carente.

Além disso, solicitarão um Centro Cultural e denunciarão os problemas ecológicos causados pelas mineradoras.

O grito será dado nas proximidades do Iguatemi, no próximo domingo, chamando a atenção das autoridades e também de milhares de pessoas que trafegam pela área, todos os dias.

Um exemplo de sucesso, ainda presente, foi o Grito do Sertão, organizado pelo Fórum Regional de Debates, em Irecê, na época sob a liderança do companheiro João Gonçalves, que também estará junto no primeiro grito da juventude sertaneja.

Leia no Jornal O Brasileirinho uma matéria que fala que os bebês, após os seis anos de idade, são capazes de julgar se uma atitude do adulto é boa ou ruim e esta O segredo da famosa escritora Margarida Rebelo Pinto para superar um AVC

A guerra do PT de Irecê pode resultar em muita moral abatida

Já houve o tempo em que as pessoas se juntavam em torno de um partido político, unidas por uma mesma ideologia que normalmente estava relacionada com um feito patriótico ou uma mudança na vida das pessoas.

Depois que a esquerda assumiu o poder no Brasil, as pessoas perceberam que a palavra ideologia já foi sepultada, teve missa de sétimo dia e já entrou no rol do esquecimento.

Em Irecê, por exemplo, está acontecendo um escândalo envolvendo cabeças do partido dos trabalhadores, PT, onde o personagem A, vai para os meios de comunicação e diz que os personagens B,C, D, etc, estão comprando votos e alguns membros estão se beneficiando de forma ilícita.

Tudo isso porque está em jogo a disputa de quem será o próximo presidente do Partido dos Trabalhadores, nas eleições do dia 02 de dezembro, na Coperil.

O resultado desta eleição poderá ter grande influência nas articulações políticas para as próximas eleições municipais.

José Marcelino, Celson Cambui, João Sena, Osvaldo Neiva e tantos outros são competentes para governar um partido que cada vez mais perde sua identidade no cenário nacional.

2007-11-21

Carro da Câmara Municipal de Irecê foi tomado de assalto em Salvador

A Câmara Municipal de Irecê tinha alguns documentos que precisavam ser levados para Salvador. Como o vereador Tertinho precisava viajar para lá, a fim de se encontrar com o prefeito foi autorizado a levar os documentos e usar o carro oficial da entidade.

Tertinho viajou na quinta-feira (15/11), às 14 horas, levando os documentos da Câmara. Ficaria na Capital até segunda-feira (19), quando teria um encontro com o prefeito Joacy Dourado.

Perto de uma farmácia, ao descer do carro, o vereador notou a aproximação de um sujeito mal intencionado.

De repente ele puxou uma pistola e anunciou que era um assalto.

Sem reagir, o vereador entregou a carteira com os documentos.

O assaltante retirou o dinheiro, no total de R$ 120,00 e jogou a carteira para o lado. Depois pegou a chave do carro da Câmara e fugiu.

Ele foi à delegacia e registrou queixa. Ao chegar em Irecê, recebeu um telefonema anunciando que o carro da Câmara foi recuperado.

Ainda bem que tudo transcorreu bem e que nada de grave aconteceu com o vereador.

2007-11-20

A população de cada uma das cidades que formam o Território de Irecê

Irecê, nome bonito que significa "pela água, à mercê da corrente, à tona d`água" na língua tupi-guarani, é formada por uma região composta por mais de uma dezena de municípios, parte deles aglomerados com a denominação de Território de Irecê.

Eis a população de cada uma das cidades do território de Irecê, segundo pesquisa do IBGE, divulgada recentemente:

  • América Dourada - 16.189 habitantes
  • Barra do Mendes - 14.054 habitantes
  • Barro Alto - 13.403 habitantes
  • Cafarnaum - 17.402 habitantes
  • Canarana - 24.436 habitantes
  • Central - 17.320 habitantes
  • Gentio do Ouro - 11.326 habitantes
  • Ibipeba - 16.762 habitantes
  • Ibititá - 18.614 habitantes
  • Ipupiara - 8.931 habitantes
  • Irecê - 62.676 habitantes
  • Itaguaçu da Bahia - 12.545 habitantes
  • João Dourado - 20.834 habitantes
  • Jussara - 14.833 habitantes
  • Lapão - 25.557 habitantes
  • Mulungu do Morro - 13.755
  • Presidente Dutra - 13.822 habitantes
  • São Gabriel - 18.468 habitantes
  • Uibaí - 13.719 habitantes
  • Xique-Xique - 45.700 habitantes
Você encontra milhares de informações úteis sobre Irecê nos livros do escritor Jackson Rubem: Irecê - História, Casos e Lendas; Irecê - Um Pedaço Histórico da Bahia; Irecê - A Saga dos Imigrantes; O Aniversário de Irecê; Brasileiros Pré-Cabralianos, publicado também em inglês com o título de Brazilians Before Cabral.

2007-11-18

Em Irecê - Terra do Feijão - Feijão está valendo ouro

Há pocos anos atrás, os depósitos de Irecê encontravam-se superlotados com a produção de feijão vinda das roças.

A importância da produção de Irecê era tamanha, que seus produtos tinham poder de aumentar ou diminuir os índices de inflação no país.

Depois surgiu o menosprezo dos políticos para com os agricultores de Irecê, começando do governo Fernando Henrique Cardoso.

Cortaram os créditos e começaram a perseguir os pequenos agricultores. Aqueles que não tem dinheiro para contratar um bom advogado.

Muitos desistiram de plantar, tanto porque perderam os imóveis em leilões, quanto por não ter nenhum incentivo, como crédito e política de preço mínimo.

Atualmente o feijão que é consumido em Irecê vêm de outros municípios, a exemplo de Barreiras, que está distante cerca de 700 km.

Quem quer consumir feijão, o produto que faz parte da dieta de milhões de brasileiros - feijão com arroz - tem que desem bolsar R$ 3,00 e alguns centavos a mais.

Acordem,governantes, os ireceenses merecem um tratamento melhor!

Arquivo


Teste sua Memória